Make your own free website on Tripod.com
Home | Entrevista com o Rabino Elisha Salas | Turismo - Cátia Vanina em Israel | Marranos: o difícil caminho para casa | Mitos e Fatos | Ponto de vista Marrano ! | O anti-semitismo na Rússia | Julgamento de Saddam Hussein | Politico | Nota de Repudio | A cultura do ódio e da destruição... | Entidades judaicas do Paraná... | Prêmio Nobel de Economia de 2005 | B'nai B'rith e SOS Racismo ... | Arrecadação de Alimentos | Encontro Tematico na B'nai Brith | Morte de Simon Wiesenthal | FISESP e Unibes... | Leilão Beneficente | Ph.D em Judaísmo... | O veneno do mel de Gibson | Bereshit: sonho ou realidade? | Ódio Suicida | Morrem brasileiros | Morrem brasileiros | Primeira Sinagoga das Américas/PE - SELO | Memoria | Mid

Bnei Anusim

Arrecadação de Alimentos

Arrecadação de Alimentos no Bialik pelo programa Ajuda “alimentando” da Federação Israelita



Nesta sexta-feira dia 30, às 10h45, voluntárias do Programa Ajuda “alimentando”, da Federação Israelita do Estado de São Paulo, estarão no Colégio Bialik arrecadando alimentos não perecíveis que serão distribuídos para 24 instituições atendidas pelo Programa, que tem como objetivo otimizar o aproveitamento de alimentos, visando diminuir o desperdício e minimizar os efeitos da fome e da desnutrição.

Desde 2003, o Ajuda “alimentando” vem percorrendo as escolas judaicas, buscando sensibilizar os alunos para a prática da solidariedade e da importância do combate à fome e ao desperdício de alimentos. Na segunda-feira, dia 3, às 8h30, seis alunos das 6ªs séries do Bialik, vão acompanhar a entrega, na creche da Unibes, simbolizando todos os alunos da escola.

O Ajuda “alimentando” surgiu com o objetivo de buscar e redistribuir alimentos prontos para o consumo, porém inadequados para a comercialização, para que estes não tenham como destino a lata de lixo. A mecânica é simples - alimentos in natura como frutas, verduras e legumes são arrecadados pelas voluntárias (acompanhadas de uma nutricionista, um motorista e um ajudante) em feiras, armazéns e mercados e redirecionados para instituições cadastradas pelo Programa. Doações de alimentos também podem ser feitas por hotéis, restaurantes, centrais de abastecimento, padarias, etc. O programa também aceita contribuições financeiras, que podem ser deduzidas do Imposto de Renda.

Segundo as coordenadoras do projeto, Adri Dayan e Thaís Ber, o Ajuda “alimentando” distribui cerca de duas toneladas de alimentos por semana, atingindo cerca de 3.700 pessoas. A iniciativa contribui para que parcelas da população tenham acesso a uma alimentação adequada e possam melhorar sua qualidade de vida, além de diminuir o desperdício.

Além disso, o Ajuda “alimentando” desenvolve um trabalho educativo para as merendeiras das instituições atendidas, organizando periodicamente oficinas, palestras e treinamentos com o objetivo de fornecer noções básicas de higiene e manipulação de alimentos, cardápios balanceados e dicas de como aproveitar integralmente os alimentos.

A idéia é expandir o número de entidades beneficiadas pelo Programa, mas antes é necessário incrementar a captação de alimentos e a contribuição de pessoas físicas e jurídicas. O Ajuda “alimentando” mantém parceria com outras iniciativas de sucesso como o Mesa Brasil, do Sesc, e a ONG Banco de Alimentos.

Mensagem do Presidente de Israel, Sr Moshe Katzav, por ocasião de Rosh HaShaná 5766



Nestes dias, às vésperas do Ano Novo judaico, dias que nos remetem à introspecção e ao jejum, à oração e à tzedacá, faz-se necessário renovar o nosso compromisso de manter os valores do judaísmo e de fortalecer a soberania judaica.

Nos últimos anos, o Estado de Israel vem enfrentando decisões difíceis e comprometedoras. Nos últimos doze anos, percorremos um caminho longo e histórico na direção dos palestinos. Tomamos decisões difíceis e dolorosas. Mas, tivemos sucesso – apesar da dor, da tristeza e das crises; apesar da raiva, do desapontamento e da frustração com a atitude de nossos vizinhos – tivemos sucesso em manter a nossa união, a nossa força, bem como a nossa fé e determinação.

São louváveis as expressões de solidariedade das comunidades judaicas, que pipocaram em todas partes do mundo, perante o povo de Israel e que fizeram com que se fortalecessem, ainda mais, os vínculos que nos unem.

Lamentavelmente, o anti-semitismo se alastrou por toda a Europa, a despeito da posição adotada pela liderança dos países europeus. O Estado de Israel e o povo judeu precisam coopeerar com esses governos e suas autoridades principais para, juntos, lutarmos contra o anti-semitismo que tanto castiga os valores humanos quanto os valores democráticos. Os países esclarecidos precisam agir com determinação contra o anti-semitismo, valendo-se da legislação e da aplicação da lei, bem como da educação e da opinião pública.

O século 21 se descortina perante o povo judeu com desafios específicos à nossa geração. Faz-se necessário aprofundar os laços entre os judeus de Israel e os judeus da Diáspora, dando a atenção merecida às necessidades de todas as comunidades judaicas fora de Israel. Faz-se necessário agir para manter a cultura judaica, para assegurar que haja uma excelente educação judaica para a geração jovem e para combater a assimilação. Cabe-nos assegurar a continuidade judaica. É preciso encontrar formas de nos unirmos mais e de reforçar os vínculos e laços dos judeus de todas as partes do mundo com os valores do judaísmo, com as instituições judaicas e com o Estado Judeu.

Em nome do povo de Israel, desejo transmitir a cada um de vocês e a seus familiares as bênçãos por um Novo Ano feliz, por um ano de fraternidade e união, um ano de paz e segurança – um ano em que continuemos a manter a nossa força nacional.

Cordialmente,
Moshe Katsav

Colégio Bialik vence concurso promovido pelo Fundo Comunitário



Três grupos da 1ª série do Ensino Médio do Colégio Bialik foram os vencedores do Concurso de Redação “Sionismo – Um Século de Aliá e Resgate” promovido pelo Fundo Comunitário e que contou com a participação das escolas judaicas de São Paulo.

O Grupo Hatikvá composto por Axel Previn, Daniel Kignel e Michel Szklo obteve o primeiro lugar e eles foram premiados, juntamente com o professor orientador Ruben Rosenberg, com uma viagem a Israel incluindo passagem, hospedagem e uma programação temática especialmente desenvolvida pelo Fundo Comunitário.

Na disputa pelo segundo lugar houve empate entre os grupos Hovevei Tzion, que contou com a participação de Ricardo Kluger, Natan Freller e Isabelle Glezer e o grupo Henrietta Szold, composto por Ariela Kilinsky, Debora Wajman e Gabriel Napchan.

O concurso também contou com a participação de outros alunos do Bialik como Leonardo Wajman, Marcelo Ulman, Leandro Laskowsky, Andre Chusyd, Felipe Arditi e Daniel Raigorodsky.

O concurso foi desenvolvido dentro do projeto “Educação Judaica: nosso futuro” e teve como objetivo sensibilizar os alunos através da história que ressalta a trajetória do povo judeu e a criação do Estado de Israel. Os trabalhos foram apresentados em forma de uma dissertação, onde itens como fotos, entrevistas, murais, maquetes e cd rom podiam ser anexados.

Uma comissão julgadora coordenada pela professora Rivka Berezin avaliou os trabalhos levando em consideração critérios como expressão e conteúdo, pesquisa, apresentação e criatividade. O concurso foi finalizado com um emocionante evento na Hebraica com a participação de todas as escolas.

Segundo Gerson Herszkowicz, diretor geral do Bialik, “esse prêmio foi uma das maiores conquistas acadêmicas já obtidas por nossos alunos. Dessa vez, uma banca de intelectuais e professores universitários atestou a alta qualidade de pesquisa e produção dos premiados. Parabéns aos professores e aos bialikanos detentores do primeiro e segundos lugares e a todos os alunos que se aprofundaram nesse projeto vencedor”.

Legenda da foto: os alunos vencedores, Axel Previn, Daniel Kignel e Michel Szklo com o prof. Ruben Rosenberg e o sr. Moysés Bobrow, presidente do Fundo Comunitário.

 

Embaixadora Tzipora Rimon visita a WIZO-SP



A WIZO-SP recebeu, nesta segunda-feira, dia 26 de setembro, a Embaixadora de Israel no Brasil, Tzipora Rimon, que, em sua prédica, entre diversos tópicos, falou da relação atual de Israel com seus vizinhos e do relacionamento entre Brasil e seu país. Desejou, ao numeroso público presente, votos de um feliz 5766.

O Coral Sharsheret cantou músicas hebraicas em homenagem à visitante e o chazan Avi Burcztein proferiu, juntamente com as pessoas presentes, uma oração para o Estado de Israel.