Make your own free website on Tripod.com
Home | Entrevista com o Rabino Elisha Salas | Turismo - Cátia Vanina em Israel | Marranos: o difícil caminho para casa | Mitos e Fatos | Ponto de vista Marrano ! | O anti-semitismo na Rússia | Julgamento de Saddam Hussein | Politico | Nota de Repudio | A cultura do ódio e da destruição... | Entidades judaicas do Paraná... | Prêmio Nobel de Economia de 2005 | B'nai B'rith e SOS Racismo ... | Arrecadação de Alimentos | Encontro Tematico na B'nai Brith | Morte de Simon Wiesenthal | FISESP e Unibes... | Leilão Beneficente | Ph.D em Judaísmo... | O veneno do mel de Gibson | Bereshit: sonho ou realidade? | Ódio Suicida | Morrem brasileiros | Morrem brasileiros | Primeira Sinagoga das Américas/PE - SELO | Memoria | Mid

Bnei Anusim

Entrevista com o Rabino Elisha Salas

ENTREVISTA DO RABINO ELISHA SALAS AO JORNAL KOL ANUSIM    

rabino.jpg O Rabino Elisha Salas é representante da Shavei Israel em Portugal, esta Organização procura ajudar os "judeus perdidos" ou Anusim a resgatar as suas raízes e é supervisionada permanentemente pelo Rabinato Superior de Israel. Formado pela Yeshivá de Jerusalém o Rabino Elisha Salas tem tido um papel preponderante em Portugal particularmente na Comunidade do Porto. Nesta Comunidade além de ensinar e preparar os Anusim de forma a que estes recuperem as suas origens e pratiquem o Judaísmo correcto, também lecciona o Hebraico, entre outras acções comunitárias.

           Com o Rabino Elisha a Comunidade do Porto foi recentemente o palco de grandes acontecimentos, destacando-se a recepção de uma nova Torá, doada à Sinagoga, acompanhada da visita do Grão Rabino de Israel, e a realização do 1º Congresso Marrano que contou com a presença do Director da Shavei Israel e do Rabino Juiz de conversão da Shavei, entre outros.

            O Rabino Elisha colabora ainda com a Comunidade de Belmonte, localidade onde abriu recentemente o Museu Judaico e onde foi lançado o primeiro vinho Kasher em Portugal e posteriormente o Azeite Kasher e outros produtos, ambos supervisionados por ele.

            Procuramos então saber através do Próprio Rabino Elisha Salas um pouco mais sobre ele, seus objectivos e perspectivas para o futuro:

 

1- Rabino, o que significa Conversão e Retorno?

     Conversão ou Retorno... é o acto de VOLTAR – RETORNAR às raízes espirituais judaicas..., ou seja, voltar a ser quem realmente fui.

     Esta acção pode ser feita por...

     a) CONVERSÃO... uma pessoa sem ligação directa com o Judaísmo, ou seja, qualquer pessoa que não tenha nenhum passado judaico.

     b) RETORNO, é efectuado por uma Pessoa que tendo passado judaico, se DESLIGOU “Voluntária ou involuntariamente” de suas raízes judaicas...

 NO CASO de um judeu cuja família é judia praticante, (observante das mitzvot), e ele NÃO..., o acto de RETORNAR ao cumprimento destas recebe o nome de BAAL TESHUVA... (Retorno à resposta)

  

2- Os Anusim Portugueses, apesar da Inquisição e do consequente corte às práticas Judaicas, têm ainda uma forte identidade judaica? 

     O fenómeno ANUS, (ou marrano), é algo que surpreende a lógica..., porque não é compreensível que depois de tantos anos, ainda exista memória de um passado judaico..., mas o contacto com as pessoas..., ouvir suas palavras..., ver suas reacções em diferentes momentos..., e saber de seus sentimentos, damo-nos conta que este não é um fenómeno vulgar, nem normal..., é algo, promovido por Hashem mesmo..., ou seja, mais uma demonstração, que o povo de Hashem é imbatível... muitos dos nossos inimigos, muitas vezes disseram que nos haviam DESTRUÍDO..., aqui mesmo..., depois de 500 anos, voltamos a nos por de pé..., e a levantar nossas vozes, enchendo nossos pulmões e nossa garganta com o “SHEMÁ ISRAEL...”, é fantástico... emocionante... é uma grande responsabilidade para “AM ISRAEL LIVRE..”

  

3- A comunidade do Porto esteve mais de 20 anos sem acompanhamento Rabínico, considera que apesar do seu esforço, particularmente no último ano, os Anusim da comunidade do Porto estão já preparados para o Retorno?

     A Comunidade do Porto... na realidade nunca teve um rabino estável... desde sua criação, não teve rabino... somente agora Baruch Hashem, tem um rabino 24 horas por dia..., e isto, indubitavelmente para qualquer Comunidade é altamente positivo...

AGORA... quando uma pessoa está realmente preparada para o RETORNO, isso somente a própria pessoa sabe..., ou seja, a troca de mentalidade, deve produzir-se, e com a ajuda de Hashem, do rabino..., (isto em termos de percentagem..., EU FALO.. de 10%), o resto, os 90% deve cada pessoa pôr em si mesma, ou seja, responsabilidade de estudos..., participação Comunitária..., cumprimentos das mitzvot... etc..., por tanto..., no Porto, há muitas pessoas que antes da minha chegada, já estavam preparadas para o RETORNO..., e comigo, começou a ligação com a Halaha e com o pensamento judaico moderno – contemporâneo e histórico Sionista.

 

 4- Sabemos que o Rabino tem uma função docente, isto significa que os Anusim do Porto depois de preparados para o Retorno, a sua missão em Portugal está terminada? Quem vai ensinar as novas gerações?

     Não, um rabino é docente... psicólogo... amigo... companheiro... pai... filho... médico... é tudo... e mais que isso..., e a missão de um rabino NUNCA TERMINA..., na realidade, desde que começamos nossa carreira... NUNCA MAIS deixamos de o ser, no caso do Porto, como é natural..., chegará o momento que eles mesmos precisarão de outros rabinos, que cumpram outras funções e que prossigam com o crescimento normal da Comunidade..., é assim, como trabalhamos..., e cada um encontra seu espaço na vida Comunitária... é algo assim... como quando somos meninos..., a ideia de deixar nossos pais é incompreensível... mas de forma natural cada um constitui sua família... cada coisa em seu devido momento.

  

5- É do conhecimento de todos que o Brasil tem uma forte presença de Anusim, e que existem grandes carências de apoio rabínico, a Shavei Israel tem algum objectivo traçado para este país?

     Tenho contactos com um grupo através do Fórum Judaismoonline... somente isso, mas nossa Organização já está no Brasil... Recife, e o Rabino Avraham Amitai trabalha lá... eu acho que ele pessoalmente deve tentar cobrir as necessidades dos anusim, e criar as linhas de trabalho requeridas..., depois se necessário for... irão mais rabinos para o ajudar... No meu caso particular... existem laços de “amizades” com pessoas do fórum..., e naturalmente tenho o impulso de querer dar mais para eles, e ajudá-los... e pessoalmente gostaria de ir para o Brasil trabalhar com eles..., mas isso, não depende de mim somente... depende de HASHEM...

  

6- Devido à falta de uma orientação Rabínica organizada e oficial, o Judaísmo no Brasil transformou-se numa autêntica batalha de ideologias de culto, e que consequentemente deu abertura ao aparecimento de falsos Rabinos, que exploram a boa Fé de inocentes, além de muitos Anusim terem enveredado por caminhos incorrectos, ingressando em correntes não reconhecidas pelo Judaísmo. Perante este cenário, considera o Brasil, em sua opinião, um caso perdido?  

    NÃO... JAMAIS... o judaísmo não encara a vida como as demais religiões, nós não queremos “adeptos” nem os buscamos..., os ANUSIM em forma natural retornam às SUAS RAÍZES, e nenhuma religião tem o que eles querem..., suas almas rejeitam suas ofertas...

     Como um amigo meu me diz... não te preocupes por lutar contra as trevas... ILUMINA... somente ilumina... e as trevas retrocederão!!!!

  

7- Esta sua permanência em Portugal obriga-o a certos esforços nomeadamente a privação da família, como convive com este problema?

     Isso é verdade, minha família tem uma participação extraordinária no tema de RETORNO dos ANUSIM..., se não fosse por sua colaboração, eu não poderia fazer meu trabalho... eles percebem a importância que tem para cada alma judia, meu trabalho, sentem orgulho pelo que faço..., e eu, sinto orgulho pelo que eles fazem do meu trabalho..., sem dúvida queria que ele estivessem comigo..., porque os anusim ganhariam muito mais... e nós..., como família, estaríamos mais felizes... mas isto mesmo, está nas mãos de HASHEM, e estou seguro que este ano, teremos uma solução... B’’H, já estamos a trabalhar para encontrar o melhor caminho.

  

8- Na véspera do 1º Congresso Marrano que se realizou na cidade do Porto, o Rabino recebeu das mãos do Director do Instituto Rabínico de Jerusalém a “Semicha Rabínica”, o que é a “Semicha Rabina”?

     Na realidade, eu já tinha uma primeira Semicha Rabínica, recebida em Jerusalém..., que se recebe ao terminar os estudos rabínicos.

    A Semicha, (diploma), consiste na finalização do período de estudos, efectuados num Instituto Rabínico (Ieshiva), e que depois de aprovado nos exames correspondentes, o Rosh da Ieshiva (o Director da Ieshiva e dos estudos Rabínicos), dá autorização ao estudante-rabino para exercer nas Comunidades Judias que se encontram no mundo...

    A que recebi no Porto, foi uma honra outorgada pelo Director da Ieshiva de Jerusalém, depois dos meus primeiros dois (2) anos a exercer esta actividade religiosa Comunitária.

  

9- O Rabino Elisha Salas foi pioneiro no lançamento do Vinho e Azeite Kasher em Portugal, quando iremos ter mais produtos Kasher?

     Estamos nisto... este ano há projecto de novos azeites... novos vinhos... e carnes..., além do mais já temos chocolates, bolachas, pão, leite, iogurte, etc... tudo isto com a finalidade que a Comunidade possa comer kasher... e que os preços sejam normais.

  

10- Qual a importância da alimentação no Judaísmo e porque é que o alimento tem que ser kasher?

      O Judaísmo, não é uma religião, é UMA FORMA DE VIDA, e como tal, rege TODOS OS NOSSOS AMBITOS..., das nossas actividades, tanto sociais - familiares - comerciais e naturalmente, religiosas..., agora A KASHRUT, refere-se à DIETA JUDIA, ou seja, o que se permite comer, e o que está proibido comer... e essas leis são as que a regem... e é obrigação de todo o judeu ESFORÇAR-SE POR COMER ALIMENTOS KASHER, porque é mais que uma dieta física, é uma dieta para a alma.

  

11- Pelas experiências que já viveu até aqui, quais os aspecto positivos e negativos que mais o marcaram? 

    Na vida de um rabino... passam muitas coisas..., mas as que mais me marcam..., é ver o crescimento dos judeus... dos anusim..., ouvir suas pregações..., suas rezas, seus olhos cheios de gratidão e surpresa ante novos conhecimentos... suas lutas... isso me enche de alegria e marca minha vida...

NEGATIVAS??? Tudo é parte de um processo... as guerras fazem que desfrutemos das Vitórias... assim tudo se transforma em mais doce...

 

                                           Entrevista: Moisés Fernandes

                                           Tradução: Cátia Vanina Fernandes

          Todos os direitos reservados ao jornal Kol Anusim